Tipos de Conectores

 

   <- Principal      .  

 

Conectores Convencionais

Conectores Ópticos

 

Conectores Convencionais


A maioria das redes de microcomputadores para PCs utilizam cabos e placas tipo Ethernet. Podemos encontrar três tipos de cabos Ethernet:

Antes de adquirir uma placa de rede, é importante saber o tipo de cabo à qual pode ser conectada. Para instalar um PC em uma rede já implementada, devemos obedecer ao tipo de cabo já em uso na rede. Ao implementar uma rede de grande porte, várias considerações devem ser tomadas para decidir qual é o tipo de cabo mais indicado. Considerações estas requerem conhecimentos específicos de profissionais que operam com implantação de redes, uma especialidade que está além dos objetivos deste livro. Entretanto, nada impede que usuários, mesmo que não sejam especialistas em rede, possam instalar pequenas redes usando os conhecimentos aqui apresentados.

Os conectores existentes nas placas de rede, usados com cada um desses tipos de cabos são chamados de:

Existem certos modelos de placas que possuem apenas um desses conectores, outros possuem dois deles, e alguns possuem os três tipos. A figura 22.1 mostra uma placa de rede equipada com um conector RJ-45 e a figura 22.2, outra equipada com um conector BNC.

A figura 22.3 mostra dois componentes utilizado nas conexões que utilizam cabos Thin Ethernet. Os conectores "T" são acoplados ao conector BNC da placa de rede, e nele são conectados os cabos que ligam o PC aos seus vizinhos. O terminador deve ser ligado no último conector "T" da cadeia.

Figura 22.1 - Placa de rede com conector RJ-45.

 

 

Figura 22.2 - Placa de rede equipada com conector BNC.

 

 

Figura 22.3 - Terminador e conector "T".

A figura 22.4 mostra o detalhe da ligação de um cabo Thin Ethernet no conector BNC de uma placa de rede, através do conector "T".

Figura 22.4 - Detalhe da ligação do cabo Thin Ethernet usando o conector T BNC.

O cabo Thin Ethernet deve formar uma linha que vai do primeiro ao último PC da rede, sem formar desvios. Não é possível portanto formar configurações nas quais o cabo forma um "Y", ou que usem qualquer tipo de derivação. Todas as ligações devem ter o aspecto da figura 22.4. Apenas o primeiro e o último PCs do cabo devem utilizar o terminador BNC. A figura 22.5 mostra o esquema de ligações de 3 PCs em uma pequena rede, usando cabos Thin Ethernet. Esses PCs são ligados por duas seções de cabos. Em cada um deles, são usados conectores "T" para permitir as conexões nas placas. O PC #2 liga-se aos outros dois através de duas seções de cabo Ethernet. Os PCs numerados como #1 e #3, localizados nas extremidades, possuem terminadores BNC.

Figura 22.5 - Esquema de ligações de 3 PCs em uma rede usando cabos Thin Ethernet.

Redes formadas por cabos Thin Ethernet são de implementação um pouco complicada. É preciso adquirir cabos com medidas de acordo com a localização física dos PCs. Se um dos PCs for reinstalado em outro local é preciso utilizar novos cabos, de acordo com as novas distâncias entre os PCs. Pode ser preciso alterar duas ou mais seções de cabo de acordo com a nova localização dos computadores. Além disso, os cabos coaxiais são mais caros que os do tipo par trançado. Apesar dessas desvantagens, os cabos Thin Ethernet apresentam um atrativo. Não necessitam do uso de hubs, equipamentos que são necessários quando conectamos três ou mais computadores através de par trançado.

DICA:

A forma mais simples de ligar dois PCs é usando o cabo coaxial (conector BNC) com terminadores em ambos os PCs. Usando cabos RJ-45, a conexão pode ser também feita sem HUB (apenas no caso da ligação de dois PCs, de três em diante é necessário usar o HUB). Para isto é preciso utilizar um cabo RJ-45 trançado (crossed). Se você não encontrar este cabo pronto, use um cabo comum, corte-o e faça as seguintes ligações: 1-3, 2-6, 3-1, 6-2. Em outras palavras, o cabo ORIGINAL estará com as ligações 1-1, 2-2, 3-3 e 6-6. Ao cortar o cabo, ligue o fio 1 do primeiro conector ao fio 3 do outro conector, ligue o fio 2 do primeiro conector ao fio 6 do outro conector, e assim por diante. Se você possuir a ferramenta para construção do cabo, pode fazê-lo já com as ligações citadas.

O par trançado é um meio físico muito utilizado em redes, apesar do custo adicional decorrente da utilização de hubs. O custo do cabo é mais baixo, e a instalação é mais simples. Basta ligar cada um dos computadores ao hub. Cada computador utiliza um cabo com conectores RJ-45 em suas extremidades. As conexões são simples porque são independentes. Para adicionar um novo computador à rede, basta fazer a sua ligação ao hub, sem a necessidade de remanejar cabos de outros computadores.

Figura 22.6 - Conectores RJ-45.

A figura 22.6 mostra um conector RJ-45 na extremidade de um cabo de par trançado. Devemos comprar o cabo, os conectores e utilizar um alicate especial para fixar os conectores na extremidade do cabo. Cada seção de cabo pode ser construída sob medida.

A figura 22.7 mostra em detalhes os conectores RJ-45, bem como a numeração dos seus contatos.

Figura 22.7 - Conectores RJ-45.

 

 

Figura 22.8 - Testadores de cabos.

Para quem faz instalações de redes com freqüência, é conveniente adquirir testadores de cabos, como os que vemos na figura 22.8. Empresas especializadas em equipamentos para redes fornecem cabos, conectores, o alicate e os testadores de cabos, além de vários outros equipamentos.

Figura 22.9 - Um hub.

A figura 22.9 mostra um hub, equipamento usado para ligar os computadores em redes que utilizam par trançado. Existem hubs padrão Ethernet (10 Mbits/s) e Fast Ethernet (100 Mbits/s). Existem ainda os modelos duais, que permitem conexões com velocidades diferentes na mesma rede (10 Mbits/s e 100 Mbits/s). Podemos encontrar hubs com conexões para 4, 6, 8, 12, 16, 24 ou 32 computadores.

Figura 22.10 - Detalhe da conexão dos cabos no hub.

Se você precisa implementar uma rede em que alguns computadores utilizam placas de 10 Mbits/s e outros utilizam placas de 100 Mbits/s, tome cuidado com o tipo de hub que vai adquirir. Existem modelos mais simples que, ao detectarem que existe pelo menos uma placa operando a 10 Mbits/s, obriga todas as placas de 100 Mbits/s a reduzirem sua velocidade para 10 Mbits/s. Existem modelos de melhor qualidade que dividem as conexões em dois barramentos, um para cada velocidade. Desta forma, dois computadores equipados com placas de 100 Mbits/s poderão trocar dados nesta velocidade. Apenas quando um dos computadores envolvidos na comunicação utiliza placa de 10 Mbits/s esta velocidade será utilizada.

 

Conectores Ópticos

 

São dispositivos passivos que servem de interface e providenciam a conexão da fibra óptica, seja de um cabo ou de um cordão, aos dispositivos ativos aos cabos backbones instalados em uma rede LAN.


Visão de um conector ST

Os conectores ópticos servem de interface para vários tipos de equipamentos, por exemplo:

- Interfaces em redes: LAN's, WAN's, ou MAN's;
- Conexão entre cabos do tipo ponto-à-ponto;
- Painéis de conexão para roteamento de cabos;
- Conexão entre equipamentos ativos e rede.

Os conectores ópticos, quando ligados a um equipamento ativo, são conectados em receptáculos que estão ligados diretamente aos dispositivos ópticos transmissores ou detetores instalados nos equipamentos ativos.

 

 

Apesar de o conector ST ser o mais usado, existem outros conectores também muito usados. O conector MIC (Medium Interface Connector), basicamente usado por redes FDDI, traz as duas fibras presas em um mesmo conector. Assim não há como instalar um conector no lugar de outro.


Conector MIC


Vista explodida do conector MIC


Conector VF-45

As principais características dos conectores ópticos são:

- Baixas perdas por inserção e reflexão;
- Estabilidade elétrica da conexão;
- Montagem bastante simples;
- Alta estabilidade mecânica;
- Tipo de conectores padronizados pela indústria;
- Permite várias conexões e desconexões;
- Baixo custo de operação, aplicação e manutenção.

Construção Básica de um conector óptico

Um conector óptico é composto basicamente por:

- Corpo: providência estabilidade mecânica ao conector;
- Ferrolho: faz o acoplamento entre cabos ou dispositivos.


Vista explodida de um conector óptico ST


Conector óptico básico

Aplicações dos Conectores Ópticos

Os conectores ópticos são aplicados nas seguintes situações:

  • Extensões Ópticas ou "Pig-Tail": O conector é aplicado em uma das pontas e a outra será conectada em uma fibra óptica vinda de um cabo externo ou interno através de uma emenda por Fusão ou Conector Mecânico;
  • Em Cordões Ópticos com 1 ou 2 fibras - Simplex ou Duplex: Neste caso o conector é aplicado nas 2 extremidades, dando origem à um Cabo de Manobra ou Path Cord Óptico;
  • Em Cordões Ópticos Adaptadores: Quando aplicamos em cada extremidade de um cordão óptico 2 tipos diferentes de conectores ópticos;
  • Multi Cordões: Nesta aplicação são aplicados vários conectores ópticos em um cabo de fibra óptica do tipo TIGHT.

Atenuações

Quando trabalhamos com conectores ópticos, devemos ter em conta que por mais cuidadosos que sejamos quando da manipulação do conector, este sempre apresentará algum tipo de atenuação.

As atenuações presentes em um conector podem ser divididas em:

  • Fatores Intrínsecos: aqueles que estão associados a fibra óptica utilizada;
  • Fatores Extrínsecos: são aqueles associados à conectorização.

Fatores Intrínsecos

Como mencionado anteriormente, uma fibra óptica é composta por um núcleo e uma casca, quando fazemos a conectorização de uma fibra óptica, esta será ligada à um Dispositivo Óptico ou outra fibra através de um adaptador, existem, por mais perfeitas que sejam as fibras, diferenças entre seus núcleos e cascas, estas diferenças causam atenuações, estas atenuações são motivadas por:

  • Diferenças na Geometria do Núcleo;
  • Diferenças na Concentricidade entre Núcleo e Casca.

Estas diferenças ocasionam na emissão e recepção dos sinais ópticos, causando Atenuação.

Diferentes tipos de fibras ópticas com diferentes diâmetros da casca necessitam de diferentes tipos de conectores, com diferentes sistemas de travamento de fibra.

Fatores Extrínsecos

Estes são motivados por imperfeições quando da execução das conectorizações e as principais são:

  • Deslocamento Lateral ou Axial: Este tipo de deslocamento pode ocorrer quando há uma diferença entre os conectores por deslocamento da fibra instalada no Ferrolho, ou deslocamento entre Ferrolhos causados por Adaptadores de má qualidade.

  • Deslocamento Longitudinal: Quando conectamos 2 conectores ópticos em adaptador é comum deixarmos um espaço mínimo entre ele para que não haja desgaste mecânico entre eles. Ocorre que quando usamos adaptadores que não são confiáveis, este têm uma folga entre os conectores, o que ocasiona uma reflexão da luz incidente (Efeito de Fresnel).
    Este efeito ocorre por que a luz vindo de um meio N1, no caso a fibra óptica, atravessa um meio N2, no caso o ar, e retorna ao meio N1, extremidade do outro conector.

  • Desalinhamento Angular: Este tipo de atenuação ocorre quando o alinhamento dos conectores não esta dentro das tolerâncias exigidas. Parte da luz incidente não é aproveitada pelo conector receptor.

  • Perdas por Retorno ou Reflexão: Este tipo de perda ocorre quando há um desalinhamento Longitudinal entre as extremidades dos Conectores, ou seja, há uma reflexão entre as junções.

  • Qualidade da Superfície: Ocorre este tipo de atenuação quando a clivagem da fibra não foi bem executada, gerando uma superfície não perpendicular ao eixo da fibra ou uma clivagem diferente de 90º.
    Para evitarmos este tipo de atenuação, devemos efetuar uma clivagem cuidadosa e um polimento na ponta do conector controlada.

Características Construtivas

Todos os conectores mostrados apresentam características distintas de construção, polimento e uso, na tabela abaixo encontramos os tipos mais comuns de conectores e adaptadores usados em uma rede local. Entretanto, independente do fabricante, os Conectores e Adaptadores Ópticos entre si.

Tipo

Corpo

Ferrolho

Encaixe

Tipo de Polimento

 SC

 Plástico

 Cerâmico

 Push Pull

 SPC - Super Physical Contact - Polimento em forma de Domo, com pequeno ângulo em relação à fibra
 aplicada ao errolho.

 ST

 Metálico e  Plástico

 Cerâmico e  Plástico

 Baioneta

 SPC - Super Physical Contact - Polimento em forma de Domo, com pequeno ângulo em relação à fibra
 aplicada ao ferrolho.

 FDDI

 Plástico

 Duplo Cerâmico

 Tipo Engate Rápido

 Plano – polimento em ângulo reto com relação à fibra aplicada ao ferrolho.

 FC

 Cerâmico

 Cerâmico

 Rosca

 APC - Angled Physical Contact - Polimento com um ângulo acentuado em relação à fibra na ferrolho.